A escola de Ensino Fundamental: alguns cuidados na hora da escolha

Na hora de escolher a escola de primeiro ano para o seu filho, a primeira preocupação deve ser a de discernir qual é o compromisso fundamental da instituição: transmitir conhecimento ou “transformar a sociedade”? Se for transformar a sociedade, elimine de seu leque de opções. Concentre-se nas outras. Explico por quê.

Dificilmente se encontrará hoje em dia uma escola (elas existem, mas são muito poucas) que não traga em sua carta de apresentação, por exemplo, frases como “formar cidadãos críticos”, “atuantes na sua comunidade” e coisas do tipo. Essas frases não são problemáticas em si mesmas e até soam bonitinhas. Quem não quer que seu filho se torne uma pessoa com capacidade crítica e apta a atuar de maneira positiva para melhorar a vida de sua comunidade ou sociedade? Mas o ponto crucial é precisamente a visão da escola acerca de como se forma o tal do espírito crítico. Em geral, quando a escola se coloca essa tarefa em primeiro lugar, é porque entende como “espírito crítico” uma visão de mundo e de sociedade já formatada e que será passada ao aluno sem que ele próprio tenha acesso, justamente, aos meios de criticá-la. Como formulou, com precisão, Catherine L´Eccuyer:

“É curioso que, embora haja uma obsessão para que os alunos sejam ´críticos`, tenhamos tanta alergia à transmissão de critérios. É quando o espírito crítico se torna um espírito caprichoso.”

Sim, pois não pode haver espírito crítico sem transmissão de critérios. E os critérios são formados ao longo dos anos escolares com base na aquisição de um patrimônio de conhecimentos que, por sua vez, se formou ao longo de séculos de trabalho intelectual abrangente e heterogêneo. Quando a escola se compromete com a formação de um espírito crítico sem comprometer-se, antes e sobretudo, com a transmissão desse patrimônio intelectual milenar, isso significa que ela está disposta a doutrinar seus alunos, ou seja, a transmitir a eles somente um tipo de critério, a corroborar apenas uma determinada visão de mundo e de sociedade. Em outras palavras, ela está disposta a alistá-los politicamente, a cercear na base a sua liberdade intelectual, a tratá-los como massa de manobra. Isso é o que acontece em boa parte das escolas de Ensino Fundamental hoje em dia. Os alunos saem da escola sem saber quem foi Camões, o escritor mais importante da língua portuguesa, mas perfeitamente encorajados a emitir sua opinião sobre processos políticos complexos sobre os quais não seriam capazes de responder três perguntas objetivas.  

Escolher a escola de Ensino Fundamental é bem mais difícil do que escolher a escola de Educação Infantil. No caso dessa última, os critérios são visíveis e quantificáveis (vejam o meu artigo sobre esse assunto). Já para a escolha da escola de 1º ano, você vai precisar usar a sua intuição, ler nas entrelinhas, perceber as motivações profundas envolvidas na prática pedagógica. Isso não é fácil. Por isso, a primeira providência é baixar as expectativas, controlar a ansiedade e observar tudo isso de um ponto de vista bem realista: a escola que você escolher não precisa ser a escola da vida inteira. A qualquer momento, você pode mudar de ideia e escolher outra, buscando aproximar-se cada vez mais de uma escolha correta, entendendo aqui como correta a escolha de uma escola que prioriza a transmissão de conhecimentos e a formação de um aluno que seja, ao fim do processo, capaz de pensar por si mesmo, e não saia simplesmente repetindo o jargão ideológico de seus professores.

Mas, para além da questão ideológica, existe ainda a questão da ordem e da disciplina. Uma escola sem ordem e sem disciplina pode, dependendo das circunstâncias, tornar-se uma fábrica de delinquentes. Crianças e jovens precisam de limites e de modelos dignos de autoridade. Além disso, sem ordem e sem disciplina a transmissão eficiente dos conhecimentos escolares se torna algo simplesmente impossível. E existem alguns critérios de que você pode lançar mão para tentar perceber se uma determinada escola está de fato estruturada de modo que o fluxo dessa transmissão se dê de maneira razoavelmente sólida e segura.

Primeiro ponto a ser observado: a escola possui uma carta disciplinar, ou seja, um conjunto de normas formuladas de maneira clara e sólida?  As regras de convivência são apresentadas de maneira explícita, bem como os mecanismos de correção e sanção a quem as desrespeitar? A autoridade do professor é garantida pela direção da escola? O que acontece com um aluno que xingar o professor, ou colocar um prego na cadeira do colega? A gestão dos conflitos é feita de forma a garantir aos alunos e professores, prioritariamente, um clima propício à aprendizagem? Se a escola não garantir que o ambiente escolar seja minimamente civilizado, todo o processo de transmissão de conteúdos fica prejudicado. A sala de aula precisa ser, no mínimo, um espaço seguro e organizado.

Segundo critério: a escola possui uma estratégia clara de avaliação da aprendizagem dos alunos? Essa estratégia é posta em prática de maneira regular e contínua? A avaliação é parte fundamental do processo de ensino e aprendizagem. Quando estamos falando de escola, ou seja, de uma transmissão de conhecimento em massa, não há como ter segurança a respeito do sucesso da aprendizagem sem mecanismos de avaliação regulares, e perfeitamente quantificáveis. A avaliação não diz respeito somente a testes e provas, principalmente se estamos falando dos anos iniciais do Ensino Fundamental. Por exemplo, os cadernos dos alunos são vistos pela professora? Os trabalhinhos de casa são corrigidos? Os erros são somente apontados ou os alunos são levados a refazer o exercício e a consertá-los?  

Por fim, um terceiro critério: o sucesso acadêmico dos alunos da instituição. Procure saber se as crianças e jovens da escola prospectiva estão de fato aprendendo os seus conteúdos. Se for possível, peça para ver os cadernos. Mais importante que tudo, procure saber se os alunos dos anos mais avançados possuem uma escrita correta. Uma escola que se preza precisa se preocupar em ensinar corretamente a seus alunos a língua portuguesa, pois o conhecimento profundo de sua própria língua é o recurso mais relevante para que uma pessoa seja capaz de aprender com autonomia e se expressar com verdadeira liberdade.  

Perdoem-me se esse artigo for um pouco decepcionante, na medida em que não oferece a vocês uma lista de critérios perfeitamente observáveis em uma mera visita oficial à escola. Quadras poliesportivas, instrumentos tecnológicos, convênios com instituições internacionais, tudo isso é muito bom, mas acessório. Uma boa escola é aquela que valoriza o patrimônio de conhecimentos universais acumulados pelas gerações anteriores e estimula o desenvolvimento de habilidades que permitam o seu manejo inteligente e pessoalizado. E, para isso, basta uma sala de aula silenciosa e segura, e um professor bem preparado, bem intencionado e que valorize o conhecimento não como um instrumento político, e sim como um bem inalienável e precioso por si mesmo.

* * *

Imagem:

Jean Geoffroy, “En classe, les travail des petits”

* * *

Artigos relacionados:

https://infanciabemcuidada.com/2018/05/19/para-que-serve-a-escola/

https://infanciabemcuidada.com/2020/04/08/a-escolha-da-escola-de-educacao-infantil-alguns-criterios-incontornaveis/

2 comentários sobre “A escola de Ensino Fundamental: alguns cuidados na hora da escolha

  1. Penso que é um projeto educacional específico, que faz sentido se você tem alguma ligação com o país ou a língua em questão, ou se vc quer direcionar o seu filho para um futuro acadêmico ou profissional no exterior. Nesse sentido, os critérios seriam justamente o quanto o projeto da escola atende a essas motivações.

    Curtir

  2. Olá!

    Qual a sua opinião sobre as escolas bilíngues? A educação bilíngue é uma opção que vale a pena? Quais outros critérios devem se levar em conta no momento da escolha de uma escola bilíngue?

    Obrigado!

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s